Ainda tentando pertencer...

Eu tive muitas experiências relacionadas a estar sozinho. Eu me mudei para longe dos meus amigos e da minha família e vivi em três diferentes províncias por longos períodos. Depois da graduação, eu parti no que eu pensei que seria uma aventura para começar meus estudos e uma carreira na agricultura. Dentro de um curto espaço de tempo, a solidão se tornou esmagadora.

Eu sou uma pessoa muito independente, mas isso não significa que eu não preciso de pessoas na minha vida. Uma coisa à qual eu acho que eu nunca vou conseguir me acostumar é comer em restaurantes sozinho. Eu não sou uma pessoa muito extrovertida, então o simples fato de entrar em um restaurante sozinho é incrivelmente difícil para mim. Eu geralmente finjo não me importar e simplesmente foco no meu celular, mas, em algum momento, eu tenho que largar o telefone e admitir o fato de que eu estou comendo em uma mesa sem ninguém sentado à minha frente.

Não apenas em restaurantes. Uma amiga próxima uma vez me mandou uma mensagem enquanto estava num aeroporto, explicando quão estranho era sentir-se sozinha no meio de uma multidão. Eu não acho que eu contei a ela, mas eu me lembro de pensar em quão frequentemente eu tenho esse mesmo sentimento. Ela continuou dizendo: “Há pessoas ao meu redor, interagindo umas com as outras, divertindo-se juntas: mas eu estou sentada aqui sozinha.”

Há pessoas ao meu redor, interagindo umas com as outras, divertindo-se juntas: mas eu estou sentada aqui sozinho.

Eu acho que um pouco da solidão que eu sinto tem a ver com a minha idade. Eu não estou naquela fase em que eu sou completamente independente, mas sou independente o suficiente para fazer coisas por conta própria, ir a lugares por mim mesmo, viver por conta própria. Às vezes, eu sinto que cresci muito rápido e é por isso que estou preso nesse embaraçoso entre-lugar.

Eu tenho muitos amigos e uma família na minha vida - eu sou mais afortunado do que a maioria -, mas me faltam as profundas conexões íntimas com pessoas que eu já tive em algum momento. No colégio, quando “amigos” estavam totalmente ao meu redor, havia sempre alguém sentado ao meu lado para conversar. Quando eu comecei a crescer e seguir em frente com a minha vida, aquelas pessoas se tornaram mais distantes, e simplesmente não podiam satisfazer o vazio que eu sentia.

Eu tinha um buraco em minha vida que eu sentia que só podia ser preenchido por pessoas, mas, a essa altura, eu me sentia mais sozinho quando eu estava com pessoas. A solidão fez com que eu me sentisse insignificante, insatisfeito, deprimido, e, às vezes, eu tinha pensamentos suicidas. Eu não conseguia encontrar qualquer solução.

Foi só quando eu passei por algumas experiências complexas e dolorosas que eu me dei conta de que o vazio em minha vida não podia ser preenchido por pessoas. Minha luta não desapareceu simplesmente; pelo contrário, eu ainda me sinto sozinho e anseio por relacionamentos profundos. Mas eu descobri que eu não estou sozinho, independente de como eu me sinto. De qualquer forma, não estou sozinho nesses sentimentos.

Se você está lutando contra o sentimento de solidão, deixe suas informações abaixo e alguém do nosso time se conectará contigo logo que possível. Podemos encarar isso juntos.