Estamos aqui para te ajudar, porque também enfrentamos dificuldades.

Está considerando cometer suicídio?

Vem conversar

Você sente que está no fim? Está se sentindo desamparado ou sem esperança? Não tem certeza se você pode enfrentar outro dia? Esses recursos ajudarão você a:

Por que você deve dar outra chance a vida

Se você está lendo esse artigo provavelmente está considerando cometer suicídio. Ou talvez apenas conheça alguém que esteja.

Se você é essa pessoa que perdeu a esperança de viver, por favor continue lendo. Deixe-me falar pessoalmente com você. Eu percebi que talvez você já tenha planejado acabar com sua vida ou até mesmo tentado. Tudo que você consegue pensar é em como não há esperança para você, e que você não pode mais continuar vivendo dessa maneira. A dor é muito grande. Ninguém entende a sobrecarga que há sobre você, ou a turbulência emocional que você está experimentando.

Mas, você está aqui agora, e por essa razão, deixe-me compartilhar um pouco de esperança com você, sobre como tudo pode ser diferente, e porque você deveria dar uma nova chance à vida.

Opções: Eu gostaria que você considerasse fazer alguma outra coisa além de tentar acabar com a sua vida. Você deve ter pensado em fazer aconselhamento ou falar com alguém que não o julgue. Eu gostaria de sugerir que você siga alguns passos novamente, passos que irão ajudar você a se mover em uma nova direção, diferente do caminho da autodestruição que tem assolado os seus pensamentos.

Você pode dizer ‘' Eu sei o porquê. Eu sou um fracasso. Eu sou insignificante. Meu marido/esposa me deixou. Alguém querido morreu. Estou sem emprego. Estou só. Eu sou ______ (você pode preencher o espaço com sua condição).’' Eu quero te dizer que, apesar dos muitos problemas e dificuldades, você também pode estar enfrentando uma deficiência de substâncias químicas no seu organismo. E essa pode ser a razão principal pela depressão que você tem sentido.

Antes de mais nada, você precisa entender porque você está se sentindo deprimido.

Muitas pessoas que estão deprimidas não sabem que a depressão também pode ser causada por uma deficiência de substâncias químicas no cérebro. Um artigo publicado recentemente pela renomada Mayo Clinic disse que "estudiosos acreditam que uma vulnerabilidade genética combinada com fatores ambientais, junto com o estresse ou alguma doença psicológica, pode iniciar um desequilíbrio nos neurotransmissores causando depressão. Desequilíbrio em três neurotransmissores - serotonina, dopamina e norepinefrina - parece estar ligado com a depressão."

Esses remédios ajudam as pessoas a se concentrar, melhorar o humor e aumentar a energia. Medicamentos podem ajudar a enfrentar esse desequilíbrio juntamente com métodos naturais, assim como exercícios físicos e um tempo para crescer espiritualmente. Você ainda precisa trabalhar outros problemas como a perda de um ente querido ou divórcio, baixa autoestima, culpa, ressentimento, raiva, ou um passado de abuso sexual. Essas crises e perdas precisam ser trabalhadas, processadas e enterradas.

Você já buscou ajuda para tratar a depressão? Se não, busque imediatamente um psiquiatra, psicólogo ou o pronto-socorro mais próximo para pedir ajuda. Você também pode ligar para o número 188, o Centro de Valorização da Vida, que presta apoio emocional e prevenção ao suicídio. As ligações são gratuitas e totalmente sigilosas 24h por dia.

Se você está recebendo tratamento, você precisa falar com seu terapeuta e/ou psiquiatra para dizer que você precisa de ajuda em relação aos seus pensamentos suicidas e planos autodestrutivos. Peça a um membro da sua família ou a um amigo para ir com você.

ENTENDENDO A DEPRESSÃO E DESAFIANDO SUAS EMOÇÕES

Seus sentimentos e sua depressão não podem ser confiados. Sentimentos não são exatamente a verdade. Sentimentos são indicadores de pensamentos subjetivos, e você precisa explorar os pensamentos que habitam em você, que te levam a pensar em suicídio. Pensar em suicídio é acreditar em mentiras sobre a vida e sobre o futuro. Muitas pessoas no passado tiveram problema com a depressão mas, eles não se deixaram levar nem acreditaram nos seus sentimentos. Eles tiveram a coragem de seguir em frente, a coragem de acreditar que seu futuro e sua vida poderiam ser diferentes.

Martin Luther descreve um dos seus frequentes pensamentos negativos dessa maneira: ‘'Por mais de uma semana eu estive perto dos portões da morte e do inferno. Todos os meus membros tremeram. Jesus estava inteiramente sozinho. Eu estava balançado de desespero e blasfemia a Deus.’'

Don Baker, pastor e autor escreveu sua experiência com a depressão: ‘’Eu parecia está fora do alcance da realidade. A vida era um borrão, geralmente fora de foco. Minha vida parecia parecia não ser nada além de fantasia. Ninguém se importava de fato, eu sentia que nem Deus. A única solução parecia o suicídio…’'

Esses homens não escutaram os seus sentimentos. Eles rejeitaram os pensamentos de desespero e seguiram em frente. Eles estavam prontos para superar os obstáculos e as suas emoções negativas. Você não precisa ser liderado pelos seus pensamentos ou sentimentos negativos.

É hora de desafiar esse tipo de pensamento. Hora de ver a sua vida de uma perspectiva saudável. Você é uma pessoa valorosa. Você é importante e você pode mudar seu pensamento e comportamento, e melhorar sua vida! Eu te peço que também dê uma chance a Deus para que Ele te dê esperança. Vire-se para Deus e peça por ajuda e guia. Por que não descobrir o que Ele pode fazer? Eu tenho testemunhado como Ele tem mudado vidas. Levantando o abatido e trazendo esperança aos perdidos.

Pergunte a si mesmo:

  1. Quais sentimentos estão por trás da minha depressão?
  2. Eu sofro de baixa autoestima?
  3. Eu tenho problemas de culpa?
  4. Eu estou enfrentando problemas de relacionamento?
  5. Eu estou com medo de algo?
  6. Eu estou enfrentando alguma perda?
  7. Que tipo de pensamentos domina a minha mente?
  8. Como eu posso dar um passo em direção a Deus?

Peça a Deus para te mostrar essas respostas. Depois, ore e peça a Ele que o ajude e que mude sua vida de dentro para fora. Não Desista! Entre em contato com alguém próximo a você agora mesmo e não tire a sua vida.

INDO ALÉM DA FALTA DE ESPERANÇA

Normalmente, pessoas que estão se sentindo deprimidas não estão fazendo o que deveriam para se sentirem melhor. Você precisa lutar contra a depressão e seguir em frente. Fale com alguém sobre os seus sentimentos, sobre a sua vida. Expressar os seus sentimentos para alguém é muito benéfico. Buscar com alguém, principalmente um profissional, o que está por trás dos seus sentimentos, pode ajudar você a resolver seu problema. Buscar um médico para um exame físico e contar a ele sobre sua depressão, pode ajudar a tratar mais eficazmente seus problemas psicológicos. Pode ser que você precise tomar anti-depressivos. Se exercitar regularmente e manter uma dieta equilibrada são fatores que podem ajudar a melhorar as taxas dos neurotransmissores que estão em baixa no seu corpo.

Passar tempo de qualidade com pessoas amadas, amigos, Deus, membros da sua família e igreja, vai te dar um sentido de conexão e ajuda para que você redescubra o sentido da vida.

Por onde começar: Você leu esse artigo. Você vai considerar dar um passo em direção à vida? Um passo para reconstruir sua vida? Um passo em busca de ajuda? Se recuse a acreditar nas mentiras que você tem contado a si mesmo. Mentiras sobre não haver mais esperança, sobre você não ser valioso e sobre não existir um futuro pelo qual valha a pena lutar.

Eu estou aqui para te dizer que existe esperança para a sua vida, e um futuro. Eu tenho visto muitas pessoas buscando ajuda e desfrutando de uma vida melhor!

Ligue para um número que possa te oferecer ajuda agora (Disque 188 no seu telefone). Escreva uma lista de coisas que te ajudariam a recomeçar. Eu espero ter ajudado você a desistir de de se fazer algum mal. Por favor entre em contato com alguém e peça ajuda, ou fale com alguém nesse site.

Ligue para o seu pastor, conselheiro, psicólogo, amigo, ou médico. Dê um passo em direção à vida e tenha esperança.

Este artigo "Dando outra chance a vida" foi escrito por Lynette J. Hoy e adaptado por Marcos Arão Tiburtino.