O pai que eu quero ser

Ultimamente tenho estado observando meu filho de 13 anos de idade e me pego perguntando se eu sou o pai que ele precisa. Receio estar perdendo contato com quem ele está se tornando agora e temo que não saiba como apoiá-lo da melhor maneira.

Como um pai de quatro filhos, quero desesperadamente que meus filhos tenham sucesso em suas vidas, mas frequentemente tenho insegurança sobre como ajudá-los a alcançar isso.

Sinto a carga de responsabilidade de entender suas necessidades emocionais e de dar-lhes o apoio que necessitam, mas é difícil saber inclusive por onde começar. Não cresci tenho uma relação muito próxima com meu pai, de modo que expressar emoções não é uma lingua que eu saiba falar muito bem.

E a parte mais complicada de enfrentar é minha passividade em relação a isso. Tenho a enorme tendência a ficar de lado e deixar que o espaço de ressentimento em minha vida cresça na intimidade que possa ter com meus filhos.

Quando chego em casa depois de um longo dia de trabalho, é sempre mais fácil “fugir” para frente da tela de um celular, tablet ou TV do que dar atenção aos meus filhos. Perco tanto tempo em coisas que não importam… Podem passar vários dias sem que tenha uma conversa profunda com meus filhos. E quando falo com eles, geralmente é sobre esportes, vídeos, jogos e coisas assim. Eu mal posso chamar isso de conhecê-los de verdade, ou de saber o que se passa em seu coração.

Receio que esteja entorpecido por uma falsa sensação de segurança, acreditando que tudo está bem. Mas, na verdade, bem lá dentro da minha alma, tenho medo de que algum dia terei a terrível notícia de que um dos meus filhos é um fracassado e isso lhe causa um enorme sofrimento. Se isso acontecer, ficarei me culpando por minha negligência, porque talvez eu pudesse ter prevenido e evitado sua dor.

Podem passar vários dias sem que tenha uma conversa profunda com meus filhos. Tenho a enorme tendência a ficar de lado e deixar que o espaço de ressentimento em minha vida cresça na intimidade que possa ter com meus filhos.

O engraçado é que eu me certifico de fazer a manutenção do meu carro com todo cuidado do mundo, porque eu sei que se eu não fizer isso vai me custar caro no futuro. Deus sabe que eu amo meus filhos muito mais do que a minha minivan idiota, então por que eu sou muito menos persistente com a manutenção dos sentimentos deles? Por que não posso fazer melhor quando invisto meu tempo na construção de um relacionamento com profundo com eles? Meus filhos devem se sentir seguros o suficiente comigo para poder me dizer qualquer coisa. Mas temo que minha raiva esteja fechando portas. Nos meus tempos difíceis, eu me vejo sendo muito duro com eles. Depois, sinto sempre uma pontada de arrependimento e, quando necessário, peço desculpas. Mas eu me preocupo com o fato de que estou lentamente destruindo a confiança que eles me deram e que minha raiva está me deixando inseguro para me abrir e me dizer o que realmente está acontecendo.

Estou em conflito, tenho o desejo de conhecer meus filhos - para saber quem eles realmente são e o que os motiva. Desejo desesperadamente ajudar meus filhos a enfrentar a vida e alcançar o sucesso, mas sou claramente inconsistente nessa tarefa. Eu luto para ser capaz de continuar fazendo isso e ser intencional. Este é um problema que enfrento diariamente.

Ser intencional como pai não é fácil. Você também sente que está sendo distante no crescimento dos seus filhos? Se você deixar seu nome e informações de contato abaixo, alguém da nossa equipe entrará em contato para ouvir sua história e oferecer ajuda.